OS CRÉDITOS FINAIS SÃO APENAS O COMEÇO

sexta-feira, março 06, 2015 14 Comments A+ a-



Eu sabia que estava mais convencendo do que me fazendo acreditar.
“É o preço que se paga pelo entretenimento finito”, você dizia. Mas além das contas, eu também dividia a culpa por só nos alimentarmos de cultura em finais de semana. A realidade era escandalosa demais para que pudéssemos ignorá-la com classe.



Carrego a culpa de impedir você e toda a sua graciosidade de retomarem relações com o sono interrompido. Era você que nunca sonhava acordada por achar que o cotidiano não poderia ser mais confortável que sua cama de casal. E eu apenas tentando ser menos previsível que o jornal de ontem.



Era um Michelangelo tentando pintar a vida real de outros tons. Nada menos que diálogos de seriado para nossas discussões de relação em filas de supermercado. O mundo escrevia cartas e emails enquanto nós só nos contentávamos com folhas e folhas de scripts.



Diretores um do outro, fazíamos cenas sempre que possível, terminando o dia curiosos sobre os próximos capítulos. Uns davam o coração, a gente dava o play.



Mas um dia você me disse que “os créditos têm a função de nos trazer de volta à realidade depois de um filme e ainda nos faz refletir sobre tudo o que existe (ou deixou de existir) a nossa volta”.
Não pude manter a relação dentro das duas horas de exibição.



O cinema costuma acender as luzes, o blu-ray volta para o menu principal e eu?

Eu ainda não tenho patrocínio para uma sequência. Ou uma nova temporada.