A ARTE DE TRANSFERIR PROBLEMAS

sexta-feira, maio 30, 2014 9 Comments A+ a-



Eu poderia facilmente condenar todos aqueles que brindam as primeiras horas do dia com o descontentamento de estarem presos na própria vida. Seria cômodo mirar o indicador para seus suplícios existenciais e desdenhar a plantação de mau-humor fértil dos mesmos.

Mas a experiência me ensinou a delegar preocupações. A maravilhosa técnica de aquiescer com elegância e distribuir o revés aos quatro ventos, sem receio de devolução. 

Esqueça suas aflições junto com a conta do restaurante. Abandone-as num abraço falso de aniversário. Deixe-as no brinquedo do parque de diversões. Esconda-as na última poltrona do cinema. O que não resolve, não precisa ser de sua propriedade.

O mundo ainda irá aprender que a transferência de problemas oferece mais vida útil que a transferência de capital.

Não precisamos de soluções, precisamos de distância. Nossa única transpiração está em organizar todos os problemas de maneira confortável na mala e despachá-los para os desatentos.

A gente sempre acaba esbarrando na vida de alguém. Que tal deixar que levem muito mais do que o nosso pedido de desculpas?

Imagem: David Andersson

Redator publicitário, baterista, compositor e escritor - flertando perigosamente com o roteiro. Reflete sobre cultura, pedaços de mainstream e as maravilhas ocultas em pequenas situações do cotidiano.

9 comentários

Write comentários
30 de maio de 2014 16:59 delete

Despachando os problemas em 3,2,1.
Concordo com tudo, e quero viver muito isso, nem culpa, sem medo, sem nada.
Curti demais!

Beijos, meu querido.

Reply
avatar
30 de maio de 2014 17:31 delete

Você escreve muito bem.. O texto possui palavras muito requintadas, mas depois de ler, me peguei em dúvida de como fazer para transferir os problemas..

^^D

Hugs!
O Pierrot Mal Amado

Reply
avatar
30 de maio de 2014 18:42 delete

E sem querer somos transferidos para os problemas alheios e também transferimos os nossos... cada um tem sua história e seu pepino diário pra descascar, cada um com seu peso e intensidade...
O negócio é transefrir os problemas pro além... né mesmo? rs

Reply
avatar
Bruna Lima
AUTHOR
31 de maio de 2014 10:56 delete

Sempre muito pontual e eficaz, as palavras lidas seguem seu rumo, mexendo e remexendo as idéias, onde pra mim, transferir é o melhor conceito já existente para expor, e após a leitura, entendi que melhor que transferir é decodificar que as coisas sempre oferecem algo útil nessa vida.
''O que não resolve, não precisa ser de sua propriedade."
Importante, claro, lido em alto bom som. Anotei.
Sorrisos :)

Reply
avatar
Nina
AUTHOR
31 de maio de 2014 23:11 delete

Menino, eu precisava ler isso.
Meu marido costuma repetir: "Nina, você não vai salvar o mundo". Toda vez que abordo algo polêmico, tentando resolver o impossível e macro, esqueço de mim mesma e perco minha saúde mental e física. Chego ao nivel do esgotamento.
Obrigada por esse tapa na cara.
Beijos.

Reply
avatar
2 de junho de 2014 11:13 delete

Concordo de que é preciso distâncias, afinal as soluções você tem. Sempre tem. Parabéns por sempre saber o que fazer!

Reply
avatar
Luísa Zanni
AUTHOR
5 de junho de 2014 18:04 delete

Tenho procurado fazer isso como se não houvesse amanhã! :)

Belíssimo.

Reply
avatar
5 de junho de 2014 18:56 delete

Ta aí algo importante para aprender a fazer: despachar os problemas para outros ares. Não é o que tenho feito. Na verdade, tenho parecido bem mais alguém que os caça em qualquer canto. Tento me lembrar disso: Não precisamos de soluções, precisamos de distância. =)

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
11 de junho de 2014 15:40 delete

É uma escolha sábia a se fazer, Magda.
Obrigado pela atenção de sempre.

Beijão!

Reply
avatar

Divague, opine, discuta. Coloque sua inspiração no 220v. Toda essa transpiração criativa é o combustível da minha respiração.