TOME VERGONHA (E CHUVA) NA CARA

quarta-feira, abril 16, 2014 17 Comments A+ a-



Não desista de uma existência aparentemente medíocre até encontrar alguém que te faça ter pensamentos inapropriados. Perder o controle das próprias emoções é um sinal corajoso de amadurecimento pessoal. 

Tente fixar os olhos no espelho e gostar do que vê ali. Acredite em mentiras eventuais, elas serão úteis para lhe preparar psicologicamente até a verdade chegar.



Coloque a naturalidade num liquidificador cheio palavras cruas, recém-chegadas do frigorífico de ideias, e espere para se viciar numa vitamina tão nutritiva quanto o cardápio de um restaurante vegetariano. 
Mas a vida pede carne e você ainda acredita que a felicidade está no churrasco e não nas pessoas que pagaram R$40,00 pra estar nele.



É permitido usar a visão periférica em seu próprio favor. Numa dessas você pega um olhar distraído e muda as fechaduras da sua casa. Lembre-se que a simplicidade anda de mãos dadas com o inesperado, logo, não é necessário se matricular no curso superior da complicação.



Deixe as roupas no chão, é uma decoração indireta quando a noite acaba bem. Não procure identificar rostos ou procurar retratos, guarde a respiração. Fique com o capítulo, esqueça a história. Memorize os detalhes, abandone o conjunto. A gente só se lembra das cenas, nunca das temporadas.

Abra o coração, não o guarda-chuva. As gotas sempre encontrarão um jeito de escorrer pelo seu corpo, é melhor se deixar molhar por inteiro. O sol prefere secar do que queimar.

Imagem: Rayani Melo