A MELHOR DAS SEGUNDAS INTENÇÕES

quinta-feira, outubro 31, 2013 25 Comments A+ a-



Um leve cataclisma de ansiedade se evidenciará sempre que a história decidir citar nossos nomes numa mesma linha. Procurados por uma eternidade de duração, somos acusados sem chance de defesa por crimes hediondos como assassinato de padrões, assalto de valores e formação de quadrilha em festas juninas.

Baseados na libido das relações adolescentes, nada pode ser mais irresistível do que nossa altiva presença. Se sozinhos nós já nos embriagávamos com litros e litros de inveja destilada, juntos a boemia alcançava estágios dignos de um arranha-céu.



Sua postura intocável, perfeitamente simétrica, era a obsessão de todos. Não existiam exceções quando sua silhueta se desenhava. Pequenas ruas viravam grandes passarelas, caminhadas eram desfiles de gala, refeições eram jantares, conversas eram discursos, cumprimentos se transformavam em verdadeiras reverências. Nenhum cenário lhe era desfavorável, nada soava destoante. Toda e qualquer coisa relacionada à sua pessoa nunca era menos do que épico. Um espetáculo impecável da introdução ao encerramento.



Eu, egocêntrico e confiante de que minha volúpia genética galgaria mais esse degrau da conquista, apenas observava os dardos galantes atirados na direção daquele hecatombe feminino. Enchi meu copo de inocência e esperei sua comitiva passar perto das minhas propriedades.

Apesar de ter todas as habilidades comprovadas na área de entretenimento, a convicção dos seus passos era digna de admiração. 



Num instante, abandonei minha coleção de bons momentos para aceitar unicamente os inesquecíveis. Me ofereci para carregar o seu mundo nas costas enquanto sua música favorita começava a tocar.

Sua vida, cheia de refrões difíceis de se cantar, estava em cada sílaba que eu pronunciava. Não que minha sabedoria musical fosse a de um maestro aposentado, mas meus ouvidos reconheciam notas agradáveis e decoravam a melodia logo na primeira vez que a canção fosse executada. Ou seja, em poucos acordes, a música estava apenas em minhas cordas vocais e você, em um lugar que ficava entre o meu queixo e o meu nariz.



Desde então dividimos suspiros e outros doces, sonhos e outras sobremesas.


Nós sempre tivemos a melhor das segundas intenções.

Imagem: Jerry Staton


Redator publicitário, baterista, compositor e escritor - flertando perigosamente com o roteiro. Reflete sobre cultura, pedaços de mainstream e as maravilhas ocultas em pequenas situações do cotidiano.

25 comentários

Write comentários
Deise Lima
AUTHOR
31 de outubro de 2013 21:37 delete

Meniiiino!!! Que lindo³.
Pude desenhar cada cena na minha cabeça enquanto lia e foi impossível não desejar algo assim pra mim.
Essa foto aí no início deu uma serenidade maravilhosa ao escrito!
E sobre a frase: "Num instante, abandonei minha coleção de bons momentos para aceitar unicamente os inesquecíveis. " só tenho a dizer que é o que eu imagino sobre as verdadeiras histórias de amor ♥
Abraço, Brunno! \0/

Reply
avatar
Lainha
AUTHOR
1 de novembro de 2013 10:10 delete

A sublimidade do encontro, da ambição e a delícia de se permitir.

Um beijo, Brunno.

Reply
avatar
1 de novembro de 2013 16:45 delete

Oq falar/comentar depois de ler isso?

Clap, clap

Reply
avatar
TOM MORAIS
AUTHOR
1 de novembro de 2013 18:50 delete

Nossa, realmente muito lindo. Não sei se já disse, mas suas palavras me inspiram. "Num instante, abandonei minha coleção de bons momentos para aceitar unicamente os inesquecíveis. Me ofereci para carregar o seu mundo nas costas enquanto sua música favorita começava a tocar." Muito lindo. Tô realmente sem palavras.
cronicasdeumlunatico.blogspot.com

Reply
avatar
Jota
AUTHOR
1 de novembro de 2013 23:19 delete

Caramba, perfeito. Cada palavra, as cenas, a história.. Acredite, quando digo isso não tenho nenhuma segunda melhor intenção.

Eu vivi algo semelhante esses dias, mas não foi nada romântico. Lamentável.

Reply
avatar
Erica Ferro
AUTHOR
3 de novembro de 2013 20:53 delete

E eu suspirei aqui sozinha depois de ler isso.

Tão lindo, Brunno. =)

Sacudindo Palavras

Reply
avatar
5 de novembro de 2013 23:34 delete

Um conto que não é contado e personagens aplicáveis à realidade ali do lado!
Tantas segundas intenções que nos surpreendem!

Reply
avatar
Tally
AUTHOR
6 de novembro de 2013 22:07 delete

"Sua vida, cheia de refrões difíceis de se cantar, estava em cada sílaba que eu pronunciava"

Amor e mésica uma combinação perfeita.

Reply
avatar
10 de novembro de 2013 18:05 delete

Como a gente fala quando está boquiaberta? Pra variar você arrazoou, escreveu um amor desses que quem lê suspira de desejo de viver.
Magnifico.
http://denovomaisumavez.blogspot.com.br/

Reply
avatar
11 de novembro de 2013 13:13 delete

Seus textos sempre me surpreendem. Não digo isso só pra você ficar feliz com o comentário, em?
E esse é tão doce! Gostei mais ainda de como se encerra, por ter envolvido essa relação maravilhosa com a música! É como se o decorrer da própria leitura fosse algum tipo de composição! Cada pedacinho se amarra e encaixa-se bem.
"Um espetáculo impecável da introdução ao encerramento.

" assim como é pra mim esse texto e, também, como deve ser cada dia dessa vida...

Reply
avatar
Ariana
AUTHOR
14 de novembro de 2013 10:21 delete

Apenas arrepiada depois de ler tão belo poema.
Quando deixamos de lado os bons momentos e optamos pelos inesquecíveis, vemos que a vida fica mais doce e mais fácil de ser levada. Principalmente se tivermos alguém do lado.
Parabéns!

Reply
avatar
Luísa Zanni
AUTHOR
20 de novembro de 2013 13:42 delete

Ah, Brunno... De uma delicadeza apaixonante, como sempre.

Houve um pedaço que me fez lembrar daquela do Leoni "eu tenho o gesto exato, sei como devo andar. Aprendi nos filmes pra um dia usar um certo ar cruel de quem sabe o que quer. Tenho tudo programado pra te conquistar", ou algo assim.

Que venham terceiras, quartas, quintas e milésimas intenções. Tenho certeza que haverão de ser sempre as melhores.

Beijo,
Lu

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:43 delete

Bom quando a ideia que escrevemos se torna imagem na cabeça de quem lê.
Parabéns pela sensibilidade, Deise.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:47 delete

Pretendi essa reação.
Feliz com suas visitas e comentários sempre pertinentes.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:53 delete

Fico feliz por produzir essa reação.
Obrigado pelas palavras.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:54 delete

Eu que agradeço por disponibilizar o seu tempo e vir aqui.
Beijão.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:56 delete

Sinto muito pela sua experiência.
De qualquer forma, a gente sempre tem que buscar uma postura que nos diferencie dos demais.

Obrigado pela visita.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:56 delete

Uma mistura de sensações para diagnosticar em espaços curtos de tempo.
Sempre bem-vinda, Ana.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:57 delete

Ótima definição, srta. Tally.
Fico satisfeito por sua amável visita.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:58 delete

Existem amores e amores. Eu gosto dessa concepção.
Obrigado pela atenção de sempre.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 09:59 delete

Você notou o ritmo das letras, isso é um objetivo quase secreto. Espero de verdade ter contribuído para deixar o seu dia mais feliz, Daniella.

Obrigado pelas palavras.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 10:00 delete

Pois é, Ariana. Acredito de verdade nesse método de relacionamento. A postura é tudo.

Mais uma vez, obrigado pela visita.

Reply
avatar
Brunno Lopez
AUTHOR
22 de novembro de 2013 10:01 delete

Espero que existam mais de milhares mesmo, Luísa.
Obrigado de coração pela atenção de sempre.

Reply
avatar
10 de janeiro de 2014 19:52 delete

Ain que lindo *---* emocionada :D :D :D

Dá uma passadinha lá

http://biankechanel.blogspot.com.br/

Reply
avatar

Divague, opine, discuta. Coloque sua inspiração no 220v. Toda essa transpiração criativa é o combustível da minha respiração.