AS DOZE ROSAS DE SETEMBRO

terça-feira, setembro 13, 2011 24 Comments A+ a-



Existem ocasiões na vida onde não podemos medir palavras, a menos que exista uma régua que meça quilômetros. Pode parecer exagerado, mas quando escolhemos declarar um sentimento maior que qualquer medida existente no planeta, é obrigatório decidir pelo colossal, afinal, o amor não permite eufemismos.

Antes de seguir qualquer teoria romântica infalível - com anexos cinematográficos incontestáveis – preferi observar a imponência do nosso próprio paraíso.
É nobre celebrar a maneira que os beijos combinam geometricamente. No mapa da felicidade, somos a latitude e a longitude do amor.

Não catalogamos as melhores sensações. Vivemos essa experiência como uma naturalidade cotidiana. A devoção mútua nos deixa confortáveis em nossa própria confusão. Conseguimos organizar as emoções para que pavimentem uma estrada divertida e instigante de se seguir por anos a fio.

As estações se confundem quando entram em contato com a sua temperatura. A eternidade dura o tempo que seus olhos estão abertos.

Sua mistura de atributos e conceitos angelicalmente plurais proporcionam uma degustação saudável de seu sabor garganta abaixo. Encha meu copo até a boca, o verdadeiro desperdício está na obsessão pela economia. O exagero é um ingrediente indispensável em qualquer receita que tenha a sua assinatura.

Estou à sua mesa, sirva-se.
Nenhum paladar pode apresentar rejeição aos pratos servidos com sua essência.

Você autografou o melhor dos meus sonhos. Eles ficaram tão valiosos com a sua caligrafia que se tornaram deliciosamente reais.

Você me fez acreditar que a semana tem apenas sextas, sábados e domingos.

Imagem: Bob Hall

Redator publicitário, baterista, compositor e escritor - flertando perigosamente com o roteiro. Reflete sobre cultura, pedaços de mainstream e as maravilhas ocultas em pequenas situações do cotidiano.

24 comentários

Write comentários
13 de setembro de 2011 09:19 delete

Estava lá no facebook quando vi su publicação. Gostei muito do teu espaço, sobretudo pela dedicação de sentimentos aqui expressadas. E voltarei.

Reply
avatar
Ju Fuzetto
AUTHOR
13 de setembro de 2011 09:24 delete

Li e reli. Não tem melhor parte, é tudo tão perfeito. ´

Parabéns Brunno. Sucesso sempre.
bjo

Reply
avatar
Karla Dias
AUTHOR
13 de setembro de 2011 09:30 delete

A paixão tem dessas, nos deixa sem norte ou sul...Beijos

Reply
avatar
13 de setembro de 2011 11:00 delete

Me deliciei em cada palavra.
De uma sensibilidade incrível.


Beeijos.

Reply
avatar
Rachel '
AUTHOR
13 de setembro de 2011 13:57 delete

Adoro tudo o que você escreve, em especial este. parabéns e conquiste tudo smp

Reply
avatar
15 de setembro de 2011 02:03 delete

Nossa, gostei muito, de verdade.
Beijos.

Reply
avatar
Roberta Melo
AUTHOR
16 de setembro de 2011 09:59 delete

Em um momento da minha vida fui bastante econômica com meus amores e como tudo foi tão triste,... O final encaixa-se perfeitamente com o período que estou passando, afinal só existe sexta, sábados e domingos ;* Parabéns pelo texto!

Reply
avatar
Adna Martins
AUTHOR
16 de setembro de 2011 13:51 delete

Há rosas embutidas em cada palavra tua. Que pureza.

Reply
avatar
Jooi
AUTHOR
16 de setembro de 2011 19:06 delete

Tudo que é verdadeiro costuma fazer cócegas na alma. Sempre gostei muito de ler, de escrever. Mas nunca fui de verificar ortografia, genero, e outras técnicas. Me apetece a linguagem de sentimento. Seja ele qual for: magoa, tristeza, dor, alegria, decepçao, felicidade extrema, fraqueza, desanimo, amor, esperança, fé, ciúmes... Entre outros. Entre o que a gente mostra ou demonstra, há muitos detalhes. Vai muito além das aparências.
Sentimento que vc captou muito bem c suas palavras. Vou seguir o seu blog. Gostei da sua escrita. Agradeço sua visita e comentario no meu espaço. Um otimo fim de semana pra vc. Bjs da Jooi.

Reply
avatar
Nina Auras
AUTHOR
16 de setembro de 2011 19:10 delete

Ah, Brunno, fico tão triste que você não aceitou minha proposta de trocar seu cérebro, seu talento, sua sensibilidade e seu jeito com as palavras pela minha... minha... minha...
Ok, entendo porque você não fez a troca, e só posso lamentar KKKKKK. Achei o texto tão lindo. Você e suas declarações de amor perfeitas, e eu tão sem palavras para comentar. Sublime o amor como o descrevesses, sem eufemismos, fazendo com que o leitor não simplesmente leia, mas sinta cada palavra.
Cavalheiro, ok. Eu nem precisava fazer esse comentário gigante só pra dizer o quão perfeito foi o texto. Mas sabemos que eu ainda tento me expressar bem, né?
Um beijo (:

Reply
avatar
Luiza
AUTHOR
18 de setembro de 2011 02:02 delete

"Você me fez acreditar que a semana tem apenas sextas, sábados e domingos." É parar no tempo e viver só o que de bom o mundo oferece. Beijos

Reply
avatar
Luiza
AUTHOR
18 de setembro de 2011 02:02 delete

"Você me fez acreditar que a semana tem apenas sextas, sábados e domingos." É parar no tempo e viver só o que de bom o mundo oferece. Beijos

Reply
avatar
Cris .
AUTHOR
18 de setembro de 2011 11:55 delete

Li, reli e releio quantas vezes for preciso.

Lindo de se ler, nem me admiro mais vindo de vc Bruno, cada vez tudo fica melhor.

beijo meu .

Reply
avatar
Jaci Macedo
AUTHOR
18 de setembro de 2011 18:44 delete

Engraçado que enquanto lia seu texto foi como se um flipbook fosse se formando na minha mente, com todas as coisas que suas palavras descreveram. Seu texto é incrível.

beijo, coração.

Reply
avatar
Carolyne Mota
AUTHOR
18 de setembro de 2011 21:09 delete

No amor não há exagero que não possa ser perdoado. Amar é estar sempre disponível e sempre apto a ouvir e se deliciar com as palavras e declarações.
Acredito que viver não teria sentido se não tivesse um amor que nos fizesse achar que todo dia pode ser sábado e domingo.

Um abraço!

Reply
avatar
Giovanna
AUTHOR
19 de setembro de 2011 10:55 delete

Belíssimo texto.
Não será necessário catalogar nada...apenas viver as experiências com naturalidade.
Fiz um passeio pelo blog, e estarei mais vezes por aqui, porque presenciei muitos ingredientes saudáveis.
Abraços
Giovanna

Reply
avatar
Camila Paier
AUTHOR
19 de setembro de 2011 14:00 delete

Me senti tanto nesse seu texto, Brunno. E eu que não consegui nunca me enquadrar em eufemismos, agora tento ser mais amor para continuar sendo eu mesmo sem deixar esse sentimento me afogar. Linda a declaração, de verdade. O que mais gosto é que tu consegues, sempre, traduzir o que tantos homens só o fazem com gestos mal ajambrados. Dê a eles aulas e nos faça mulheres felizes, sem neuras e paranóias! Hahahaha
Amor é pra sentir, mas também para demonstrar.
Um beijo!

Reply
avatar
Jooi
AUTHOR
20 de setembro de 2011 18:01 delete

Passando para te desejar uma ótima semana. Que sejam pra ti dias abençoados. Esteja com Deus. Bjs da Jooi.

Reply
avatar
21 de setembro de 2011 13:53 delete

Em setembro as coisas se afloram, deve ser a primavera, mas creio que isso possa acontecer nos outros meses!

Muito bom texto. Um beijo!

Reply
avatar
AUTHOR
23 de setembro de 2011 14:16 delete

Amei o texto, amei a forma com que tu expressas os teus sentimentos, amei cada palavra que tu colocaste. Parabéns, parabéns mesmo.

Reply
avatar
Sâmy
AUTHOR
30 de setembro de 2011 21:34 delete

Perfeeito!


Ameei o Blog! Voltarei, com certeza!

Espero sua visita no Crônicas

http://cronicasrapidas.blogspot.com/

Reply
avatar
Elania
AUTHOR
12 de outubro de 2011 15:23 delete

Acho que, resumidamente, como muitos comentaram. Ah, que amor danado. Lindo texto, até.

Reply
avatar
Bruna Lima
AUTHOR
21 de fevereiro de 2012 02:14 delete

Fico encatada com a magnitude que as palavras ganham em seus textos, são perfeitas em contexto, e me ganha a cada nova leitura.

O final desse a expressão essencial.
Parabéns.

Reply
avatar

Divague, opine, discuta. Coloque sua inspiração no 220v. Toda essa transpiração criativa é o combustível da minha respiração.