DESENCANTO GRATUITO

sexta-feira, setembro 03, 2010 29 Comments A+ a-

Todas as vezes que aceito sentar à sua mesa, eu não tenho fome.
Não me agrada a cor da sua xícara, eu preciso de muito açúcar pra gostar de café. Você sabe como temperar meu prato favorito mas perdeu os ingredientes mais saborosos.
Eu já contei as voltas que dei no seu cabelo, eu fotografei as suas pupilas implorando dilatação. E onde foi encanto?
Eu sempre quis gritar mas você me deixava rouco sem abrir a boca.
A interrogação sempre foi o meu ícone favorito. Oferecia como entrada, como sobremesa. As dúvidas que sempre planto em corações de pouca vida.
Eu ainda não soube recortar as lembranças e fazer uma carta do tipo ‘pedido de resgate’.
Meu conhecimento sempre se concentrou na embalagem, nas cores e no rótulo. Hoje é estranho estar obcecado pelo recheio.
Comum agora passar pelas fases sem apreciá-las. Comum agora correr sem fôlego apenas para que você me faça massagem cardíaca.
E eu nem mais te fantasio. Eu não vou cobrir meu rosto se você decidir ser o sol.
Em seu circo, eu sempre fui o único palhaço que não precisava de maquiagem. A minha graça estava em você.

Espero agora convencer o mundo de que perdi meu uniforme de herói. E que vilões também podem estar na moda.

Redator publicitário, baterista, compositor e escritor - flertando perigosamente com o roteiro. Reflete sobre cultura, pedaços de mainstream e as maravilhas ocultas em pequenas situações do cotidiano.

29 comentários

Write comentários
Franck
AUTHOR
3 de setembro de 2010 13:41 delete

"Agora eu herói e meu cavalo só falava inglês'... Os heróis e os vilões ás vezes dão uma bela história de amor...
Abçs!

Reply
avatar
Dani Brito
AUTHOR
3 de setembro de 2010 14:50 delete

Corações de poucas vidas...pois é, são armadilhas.
A embalagem é bonita mas se o recheio for ruim, ela não faz diferença.
Vilões são no fundo, heróis sem amor.

Beijos, Bruninho
=)

Reply
avatar
Jota
AUTHOR
3 de setembro de 2010 16:07 delete

Engraçado, que há poucos minutos atrás orava a Deus pedindo uma mulher com um coração igual ao Dele e na primeira vez que venho aqui no blog encontro um texto que retrata isso. Muito bom, parabéns!

Reply
avatar
3 de setembro de 2010 19:23 delete

Vilões também podem render boas histórias. Gostei muito do texto.

Beijos :*

Reply
avatar
Cacheada
AUTHOR
4 de setembro de 2010 09:04 delete

Seeeeeeeeeeeeu lindoooooo!
Poxa, esse foi um dos melhores..
Mas sim... Os vilões estam na moda, eu adooro um vilãozinho!!!!
adorei toda a sua sintese, pois passou a idéia de que as mulheres não estão mais tão frágeis.

Reply
avatar
Vivian
AUTHOR
4 de setembro de 2010 11:44 delete

...estar vilão enquanto se fantasia
em belas palavras, é fácil.

ser vilão em essência, há que ser
forjado no fogo das desilusões.

e em matéria de amor...

bj

Reply
avatar
Luiza
AUTHOR
4 de setembro de 2010 12:16 delete

Me apaixono por tudo que você escreve. quem não vem aqui e te lê, está perdendo tempo, você tem muito talento!beijos!

Reply
avatar
Larissa
AUTHOR
4 de setembro de 2010 19:33 delete

Que raio de cozinheira é essa que perdeu os ingredientes mais saborosos da sua comida? Que estúpida administradora de circo te coloca como palhaço e não percebe que o seu talento é para mágico?Quem foi a poderosa repressora que conseguiu calar sua crença no amor e sua poesia colorida??
Ouvi dizer que seu jardim necessita de interrogações, reticências e exclamações cor-de-rosa... Só estão esperando que você abra os portões para iniciarem o plantio.
Também soube que além de uma jardineira, você REIVINDICA uma companheira pro jantar, uma médica particular, um alguém pra se encantar...
Talvez esteja na hora de aceitar o papel de donzelo por uns trocados a menos. Os vilões e heróis são melhor interpretados por atores iniciantes .

Reply
avatar
Thais Alves
AUTHOR
4 de setembro de 2010 23:25 delete

"Em seu circo, eu sempre fui o único palhaço que não precisava de maquiagem. A minha graça estava em você."

ameei .

Reply
avatar
5 de setembro de 2010 08:20 delete

Você escreve bem demais. Fiquei encantada com o que vi por aqui!

Beijos!

Reply
avatar
olhar
AUTHOR
5 de setembro de 2010 10:21 delete

Sinceramente....voce escreve demais...que maravilhoso o que escreveu aqui...forte e absolutamente profundo.
Um beijo enorme em voce e otimo feriado, menino lindo!
Bia

Reply
avatar
Nini C .
AUTHOR
5 de setembro de 2010 15:58 delete

mto bom te ler. adoro passar po aqui, beijos...

Reply
avatar
5 de setembro de 2010 17:04 delete

Que triste,Bruno....mas o amor tem dessas surpresas,não é mesmo?
Um dia estamos amando, no outro estamos nos perdendo infinitamente. ;~

-

Eu adoro seus textos.Sempre estarei aqui, na primeira fileira, no primeiro banco, te observando atentamente :)

Reply
avatar
Kamy
AUTHOR
6 de setembro de 2010 17:13 delete

Eu vi seu comentário no meu blog, gostei e pensei: "esse garoto parece interessante, quando retornar de viagem, vou ler seu blog" Mas dei um click despretensioso aqui e o que encontro? Textos tão fantásticos que eu leio e não consigo pensar num comentário inteligente pra fazer!

Você é muito bom com as palavras, Bruno. Mesmo.

Reply
avatar
Solange
AUTHOR
6 de setembro de 2010 21:37 delete

esse "amadurecer" deixa os homens absolutamente sedutores...

e, vilão ?
com essas "armas" doces que deixa por aqui ?

lindo !

adorei.

beijos

Reply
avatar
Naia Mello
AUTHOR
6 de setembro de 2010 23:33 delete

Que ela era sua musa. De acabar deixando de ser. De você sofrer. De você odiar mesmo amando

Reply
avatar
7 de setembro de 2010 01:17 delete

"Eu ainda não soube recortar as lembranças e fazer uma carta do tipo ‘pedido de resgate’"

Tenho medo de vir aqui, e descobrir o que sinto bem no fundo da alma...

vc continua mexendo nas minhas gavetas! :)

;*

Reply
avatar
7 de setembro de 2010 13:37 delete

Já estava com saudade dos seus textos!
: )
muito perfeito! *=*

Reply
avatar
Mila
AUTHOR
7 de setembro de 2010 18:21 delete

"Em seu circo, eu sempre fui o único palhaço que não precisava de maquiagem. A minha graça estava em você".....


Sempre perfeito...

Reply
avatar
Amanda Arrais
AUTHOR
8 de setembro de 2010 13:07 delete

"Espero agora convencer o mundo de que perdi meu uniforme de herói. E que vilões também podem estar na moda."

Acho que os amores nos dão um realismo exacerbado e até nos faz vilões. Acabamos por quebrar corações pelo fato de os nossos terem sido quebrados, mas é um ciclo.

=*

Reply
avatar
Camila Paier
AUTHOR
8 de setembro de 2010 14:17 delete

Nada melhor do que sua roupa de herói perdida, e sua alma desnuda, seu Brunno. Encarar de frente à realidade, e ver que, nem tudo era assim tão real como se imaginava. Cair nesse mundo sujo e enganoso é ruim, mas assim não perdemos tempo com o que não valeria à pena colocarmos em nossa biografia.
Beijo grande!

Reply
avatar
8 de setembro de 2010 14:20 delete

Belísssimo grafar,claro!
" As dúvidas que sempre planto em corações de pouca vida"...
Me deixa quase sem palavras expressivas,mas esse trecho,deix mais clara para mim a vilania citada no final.E talves é essa vilani que faz desse texto tão concreto...

Abraços!

Reply
avatar
Camila
AUTHOR
8 de setembro de 2010 18:58 delete

Aiiiii Brunno, que texto é esse? Tá lindo demais rapaz! E o recheio é o que realmente importa mesmo. Talvez o recheio mude com o tempo, mas são poucas as vezes em que isso acontece; já a embalagem é sempre!

Reply
avatar
Karine Melo
AUTHOR
9 de setembro de 2010 13:50 delete

'A minha graça estava em você.'


Você encanta, Bruno!


Beijo :*

Reply
avatar
9 de setembro de 2010 15:59 delete

Encantando-se ou não, vilões também precisam encontrar alguém com "recheio" (como diria). Nossa, não é meu dia. Digo simplesmente que amei, então. :3

Reply
avatar
Luiza
AUTHOR
9 de setembro de 2010 21:10 delete

"A interrogação sempre foi o meu ícone favorito."
Devo dizer-lhe que a vírgula soa mais encantadora. Não é um fim por completo, mas aquela pausa. Pit stop para respirar e se recompor de todas as voltas que o mundo dá.
Adoro essa mágica do inconsciente coletivo. O fato de você citar palhaços, vilões e herói na semana em que me fantasiei de Mulher Maravilha. Me arrepia!

Reply
avatar
Thammy
AUTHOR
10 de setembro de 2010 10:15 delete

Nada melhor do que nos despirmos da nossa própria fantasia e encararmos esse mundo frente a frente. Com olhos bem abertos, sem ilusões fracionadas ou sentimentos finitos, que chegam a ser pobres com toda sua escassez. Dói, machuca, mas ver o que realmente existe nos torna também sensíveis nesse mundo vasto em sentimentos, reais ou não.
Um beijo.!

Reply
avatar
Aline Valek
AUTHOR
22 de novembro de 2010 18:57 delete

Seus textos tem uma característica marcante: narram apenas através de metáforas. Isso revela a beleza de pequenos detalhes, e quanto universo figurativo cabe em uma pessoa e em um relacionamento. Você constrói lindas imagens na mente do leitor (pelo menos na minha você conseguiu). Imaginei até um curta, cenas bonitas, fotografia bem feita, com seu texto sendo narrado por um locutor de voz bem macia. Viajei, né? Acho que seu texto cai muito bem com o suporte visual, sonoro... Pq acho que um problema do seu texto ser apenas em forma de texto é pq o uso das metáforas deixa tudo bem vago, não especifica uma narrativa, é mais sentimento, tato, feeling... os outros sentidos, sabe? :)

Que bom que vc me cutucou para entrar aqui. Assim pude favoritar no meu reader para ler sempre.

Beijos

Reply
avatar

Divague, opine, discuta. Coloque sua inspiração no 220v. Toda essa transpiração criativa é o combustível da minha respiração.